Superação a fórmula do personal para o sucesso

runner3

Aceite o que te desafia, aproveite as oportunidades!

Eu adoro conhecer histórias de pessoas que correm atrás dos seus objetivos, que não tem preguiça e nem medo de arriscar, que aproveitam as oportunidades, mesmo que elas não tragam um lucro imediato, e que valorizam o conhecimento e a experiência que podem adquirir. Também gosto muito de compartilhar as minhas histórias e hoje eu quero contar dois casos.

Meu avô sempre dizia quando eu ainda cursava a educação física:

“Aproveite a oportunidade para pegar experiência e aprender. Mesmo se for para ganhar pouco. Dinheiro vai e volta, conhecimento e aprendizado ficam para sempre.”

Certa vez, ainda na graduação (Muzambinho-MG), apareceu uma oportunidade para estagiar numa pousada-fazenda, em Alfenas-MG, com recreação infantil. Eu realmente não gostava nem um pouco daquilo. Já o colega que me convidou para acompanhá-lo no trabalho na pousada era o oposto. Ele gostava do que fazia, explicava sobre animais e árvores, fazia piada, contava histórias de lendas de terror e as crianças adoravam, montava dinâmicas, jogos e diversas brincadeiras.

Após uma conversa em casa aceitei a oportunidade. Abdiquei de alguns finais de semana de barzinho e amigos e fui trabalhar na pousada-fazenda. Apesar de não gostar e ser cansativo, o resultado foi positivo: aprendi a me comunicar melhor, perdi parte da timidez e adquiri experiência para utilizar após alguns anos em uma empresa que trabalhei com um grupo de crianças. Valeu a pena!

Outra vez, após ter me formado e já morando e trabalhando em São Paulo uma aluna me indicou para uma amiga que morava em uma região de difícil acesso para mim. Eu não tinha carro na época; não havia metrô próximo; de ônibus eu levaria mais de duas horas somente para ir; e táxi ficaria um absurdo de caro. Minha aluna disse para eu não desistir que era uma cliente em potencial. A solução que encontrei foi alugar um carro. Ainda sairia mais barato que o táxi. E eu levaria 20 min para chegar.

Alguns conhecidos da época acharam que não valeria a pena e diziam que jamais iam se deslocar com tanta dificuldade e para ganhar pouco. De fato eu só tirava de lucro 30%. 70% era o gasto pelo aluguel do carro. Só que essa aluna fazia aula de terça e quinta às 14 horas. Apenas duas vezes na semana e em um horário que eu não estaria fazendo nada produtivo. Antes ganhar 30% e uma nova cliente em um grande condomínio, do que ficar em casa. E adivinhem, valeu a pena de novo! A nova aluna gostou das aulas. Após dois meses criei coragem e financiei um carro. Ela ficou comigo por mais de um ano e o valor do meu serviço, antes “desperdiçado” num aluguel de carro, se reverteu nas prestações de uma nova aquisição, um automóvel que facilitou meu deslocamento e proporcionou atender novos clientes.

É por isso que eu faço questão de contar isso quando tenho oportunidade, principalmente para os que ainda cursam faculdade, os que acabaram de se formar e estão começando a carreira. Ou mesmo para aqueles que já estão há algum tempo no mercado, mas ficam presos a um conformismo e não aproveitam o tempo livre e as oportunidades que surgem.

São Paulo realmente cobrou o desafio de me superar a cada dia, de deixar a preguiça e a zona de conforto lado, e aquela mania que temos de achar que só com a gente as coisas são difíceis, ou que só nós sofremos com os obstáculos que surgem. Aqui, mais do que nunca, coloquei em prática o que havia aprendido anos atrás: “aproveite as oportunidades, conhecimento e aprendizado ficam para sempre”.

Contei dois casos simples apenas para chamar atenção, pois é muito fácil dizer que a educação física é um ramo ruim e que o mercado não valoriza. Assim como eu tive que superar medos, timidez e fazer coisas das quais eu não gostava, além de enfrentar dificuldades para chegar onde estou, inúmeras pessoas também passaram e passam diariamente por desafios internos e externos para traçar novos caminhos de sucesso.

De nada adianta reclamar e muito menos desistir. É preciso ficar atento às oportunidades, ao público que você quer atender e estar disponível e disposto a atendê-lo. Portanto, sempre que uma nova proposta ou desafio aparecer coloque na balança:

                – O que eu estarei fazendo neste tempo que me impede de aceitar este trabalho?

                – O que eu estarei perdendo e/ou ganhando caso aceite este novo serviço?

                – Eu já esgotei as possibilidades que me impossibilitam de atender esse cliente?

Pense bem, aproveite ao máximo cada nova oportunidade, e agradeça sempre.

Compartilhem suas histórias.

U

Personal lembre-se:

As boas oportunidades estão frequentemente disfarçadas de trabalho duro.
E por essa razão que tão poucas pessoas as reconhecem.”
Ann Landers

 

Nivia III

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Compare items
  • Total (0)
Compare
0