Personal coloca mensagens de apoio em ponte e evita suicídio


Sua vida tem valor”, “Nós sabemos que não é frescura e queremos te ajudar”, “Você não está só”. Essas são algumas das frases que a personal trainer Leila Maia, de 30 anos, colocou este mês na Ponte Newton Navarro, em uma campanha de iniciativa própria para prevenção de suicídio, em Natal, capital do Rio Grande do Norte. E deu certo. Ela já conseguiu evitar pelo menos uma morte.

O projeto recebe o nome Ponte da Vida e foi como o local ficou conhecido desde que Leila, amigos e familiares realizaram um evento em julho deste ano reunindo religiosos e profissionais da saúde para falar sobre o tema. Depois deste dia, ela vinha buscando algo leve para falar sobre suicídio. Foi quando viu a ação de 2013 da marca coreana Samsung e se inspirou.

A personal contou, em entrevista ao TNH1, por telefone, que foram dois meses desde a escolha das frases até a instalação das placas, no dia 16 de setembro. Na mesma data, ela recebeu uma ligação informando que uma pessoa tinha tentado tirar a própria vida no local, mas repensou ao ler as mensagens.

Foi nesse momento que eu vi que estava fazendo a coisa certa. Me ligaram, disseram que uma pessoa tinha tentado suicídio na ponte. Quando a polícia chegou, ela estava chorando e falou que tinha desistido após ler as placas que colocamos”, contou Leila.

As mensagens são um convite para conversar e mostrar empatia às pessoas que estão sofrendo. A instalação coincide com o Setembro Amarelo, mês em que é realizada uma campanha mundial de prevenção ao suicídio.

Experiência familiar

Ao TNH1, Leila contou que perdeu o pai aos 6 anos e que tinha dificuldade em falar sobre o assunto. “Meu pai cometeu suicídio e eu passei muito tempo achando que ele era uma pessoa ruim. Eu tinha preconceito. Foi um processo até conseguir falar com as pessoas. O assunto é um tabu e a saúde mental é muitas vezes menosprezada, mas é algo importante para que se tenha equilíbrio e qualidade de vida”, relatou a personal. Ela explicou que esse foi um dos motivos que a fez decidir colocar o projeto em prática.

“Precisamos que as pessoas entendam que não precisa ter preconceito ao falar do assunto. Se a gente consegue falar, as pessoas conseguem ser salvas”, declarou.

Quem precisa de ajuda pode procurar o Centro de Valorização da Vida (CVV) através do número 188.

 

Créditos, para acesso as outras fotos e para assistir  ao vídeo gravado no evento do dia 16 de setembro:

 

 

Letícia Cardoso

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Compare items
  • Total (0)
Compare
0