CREF será que agora vão dar valor?

CREF-será-que-agora-vão-dar-valor

CREF será que agora vão dar valor?

Cresce nas redes sociais uma campanha marcada pelas hashtags #mostreseucref e #eutenhocref, quando me deparei com essa campanha fiquei imaginando o que teria desencadeado essa mobilização, estariam os Profissionais de Educação Física (PEFs) sofrendo de bipolaridade? Sim, pois foram do ódio ao amor pela instituição em poucos instantes.

Pesquisando daqui, olhando dali, lendo cada uma das declarações comecei a entender o fenômemo e a justa manisfestação dos colegas. Ocorre que foi veiculada uma matéria na TV falando sobre personal coach que mostrou um treino realizado no Parque do Ibirapuera em São Paulo. Até aí nenhum problema, pelo contrário, essas matérias acabam sendo bem vindas para fomentar a prática do exercício. Só que alguém descobriu que o personal coach, responsável por ministrar os treinos, não é formado em Educação Física como determina a Lei 9696 que regulamenta a profissão.

A partir daí tudo mudou, o exercício ilegal da profissão, quando da área da saúde é crime. Como se fosse pouca coisa as declarações dadas pelo falso profissional são ofensivas aos profissionais que estudaram por anos para adquirirem o direito de ministrar aulas sem colocar em risco a saúde dos seus alunos. Sem contar que insinua afirmando que as leis não funcionam e que o que ele faz não diz respeito à ninguém a não ser à ele mesmo. Ledo engano.

A mobilização em massa dos PEFs talvez seja um indício de que começam a entender a importância da existência de um conselho profissional. Em geral o que vemos são os profissionais reclamando do valor da anuidade paga aos CREFs, que o conselho não luta por melhores salários e que só falam em fiscalizar. Pois é justamente essa a função de um conselho profissional (escrevi aqui sobre o assunto), regular salários é função de sindicato, que aliás você, quando é registrado em carteira, também paga, descontado em folha.

A função primária dos conselhos profissionais é de defender a sociedade dos maus/falsos profissionais. Eles regulamentam a profissão, ou seja dizem o que pode e o que não pode fazer e quem pode atuar naquela profissão. Além disso fazem a fiscalização para garantir que a lei seja cumprida.

Quando qualquer cidadão, seja ele PEF ou não, se deparar com uma situação irregular deve imediatamente denunciar ao CREF da sua região. Essa atitude é fundamental para ajudar os fiscais a direcionar o seu trabalho, não havendo denúncias, a fiscalização fica na tentativa e erro, é amostral, pois é impossível fiscalizar tudo e todos.

A partir da denúncia o CREF vai investigar e providenciar provas para fazer a autuação, que pode ser prisão em flagrante como já vimos acontecer em academias e veiculado mais de uma vez na TV. O que é preciso entender é que não dá simplesmente para ir até o local e prender o cara, sem provas, então esse processo muitas vezes é lento.

Neste caso especificamente, inúmeras denúncias foram feitas e provas são o que não faltam, espalhadas pela rede, a começar pela própria matéria que desencadeou tudo. Nossa função é continuar fazendo pressão, continuar cobrando uma ação do CREF4 e a campanha #mostreseucref #eutenhocref está sendo muito bem vinda para isso.

Toda essa mobilização me fez pensar no título dessa publicação será que agora vão dar valor ao CREF? Parece que sim.

Verdadeira atitude profissional

Uma verdadeira atitude profissional passa pela boa educação e respeito. Se nos julgamos superiores à um indivíduo que comete um crime, caçoa das instituições, ofende toda uma classe profissional, e ainda outras classes quando diz que estudar não é importante, coloca em risco a saúde de pessoas e ainda torna isso público com a certeza da impunidade, não podemos nos nivelar à esse fulano, mas podemos aprender com a situação.

Voltemos lá atrás, voltemos à questões que venho falando por anos neste canal, em outros, em discussões e palestras. Porque você acha que foi a aula desse indivíduo, sem qualquer qualificação profissional, que estava na mídia e não a sua aula?

Isso se chama marketing pessoal, existe toda uma estrutura por trás desse fulano para promovê-lo. E você o que faz para se tornar conhecido? Pensou alguma vez em contratar uma assessoria de impresa ou acha que é jogar dinheiro fora? Fez algum curso de marketing para entender melhor como isso funciona? Como é sua presença nas redes sociais? Você tem site? O que você faz para que as pessoas conheçam o seu trabalho e possam avaliar que é melhor do que o trabalho que esse cara faz? Porque não resolveu criar uma campanha #mostreseucref #eutenhocref antes de tudo isso começar? Você valoriza o seu trabalho ou aceita trabalhar para qualquer um, a qualquer preço?

Poderia entupir essa página de perguntas, mas acho que essas já são suficientes para começar a pensar a respeito.

Aproveite a situação para refletir um pouco sobre ética profissional, reivindique seus direitos, mas lembre-se dos seus deveres:

  1. O que ele está fazendo não é diferente do que inúmeros PEFs fazem quando prescrevem dieta e suplemento para seus alunos. Essa é função de nutricionista, denuncie.
  2. O que ele faz não é diferente do que o seu colega fisioterapeuta faz quando dá aula de personal do seu lado e você faz vista grossa porque é seu colega. Denuncie.
  3. O que ele faz não é diferente do que a academia faz quando contrata estagiário para dar aula. Denuncie.
  4. Quando vir um PEF, mesmo que seja registrado no CREF, colocando em risco a saúde das pessoas, denuncie.
  5. É seu dever conhecer mais sobre a função do sistema CONFEF/CREF para ser ouvido nas suas reivindicações e não visto como ignorante (sim, daquele que ignora, desconhece).

Quando me refiro a valorizar o sistema CREF/CONFEF, não significa aceitar tudo o que fazem, mas entender o tamanho da importância de ter uma profissão regulamenta, de fazer parte de uma classe de profissionais, de se organizar em prol dos mesmos objetivos.

Abuse dos seus direitos, entupa a caixa postal do CREF com denúncias para que as fiscalizações não sejam feitas em vão. Use seu tempo e despenda energia em construir uma profissão melhor, com a importância suficiente para ser reconhecida pela sociedade. Só assim fulanos como esse não terão alunos, nem mídia interessada no seu trabalho, nem nada, só uma enorme vontade de ser Profissional de Educação Física como você é, que ficará apenas na vontade, porque para enfrentar todos os “livros” desdenhados por ele é preciso muito mais do que músculos definidos.

Denise

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Compare items
  • Total (0)
Compare
0